Pesquisar conteúdo deste blog

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Gigantic Jet Lightning over India | Gigantesco relampago de jato sobre a Índia


Pode um relampago fazer isso? Durante um voo de Munique para Cingapura, no começo deste mes, um ativo passageiro registrou imagens de uma tempestade de relampagos passageira e flagrou algo inesperado: um gigantesco relampago de jato. 

O jato foi fotografado em uma exposição única de 3,2 segundos sobre Bhadrak, India. Embora o gigantesco jato pareça estar conectado à asa do avião, ele, provavelmente, se iniciou em uma nuvem de trovões mais distante, e pode ser visto estendendo-se para cima em direção à ionosfera da Terra. 

A natureza dos gigantescos jatos e sua possivel associação a outros tipos de Efeitos Luminosos Transitórios (TLEs), como os jatos azuis e os duendes vermelhos é um mistério que continua sendo objeto de ativas pesquisas.

Tradução L M Leitão da Cunha

Yes, but can your lightning bolt do this? While flying from Munich to Singapore earlier this month, an industrious passenger took images of a passing lightning storm and caught something unexpected: gigantic jet lightning. The jet was captured on a single 3.2-second exposure above Bhadrak, India. Although the gigantic jet appears connected to the airplane's wing, it likely started in a more distant thundercloud, and can be seen extending upwards towards Earth's ionosphere. The nature of gigantic jets and their possible association with other types of Transient Luminous Events (TLEs) such as blue jets and red sprites remains an active topic of research.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

A Lunar Corona over Turin | Uma coroa lunar sobre Turim


O que são aqueles aneis coloridos ao redor da Lua? São uma corona. Aneis como estes aparecem às vezes, quando a Lua é vista através de nuvens finas. O efeito é criado pela difração mecanica quantica da luz ao redor de goticulas individuais de água de tamanhos similares em nuvens intermediarias, porém transparentes em sua maioria. 

Como diferentes cores de luz têm frequencias de onda distintas, cada cor difrata diferentemente. As coroas Lunares são uns dos poucos efeitos quanticos mecanicos de cor que podem ser facilmente vistos a olho nu. 

Esta coroa lunar foi fotografada ao redor da Lua cheia sobre Turim, na Italia, em 2014. Coroas similares que se formam ao redor do Sol são normalmente mais dificeis de ver, devido à forte intensidade de brilho do Sol.

Tradução L M Leitão da Cunha

What are those colorful rings around the Moon? A corona. Rings like this will sometimes appear when the Moon is seen through thin clouds. The effect is created by the quantum mechanical diffraction of light around individual, similarly-sized water droplets in an intervening but mostly-transparent cloud. 

Since light of different colors has different wavelengths, each color diffracts differently. Lunar Coronae are one of the few quantum mechanical color effects that can be easily seen with the unaided eye. 

The featured lunar corona was captured around full Moon above Turin, Italy in 2014. Similar coronae that form around the Sun are usually harder to see because of the Sun's great brightness.

Water Vapor Discovered on Distant Exoplanet | Vapor de agua descoberto em um distante exoplaneta


Onde mais poderá existir vida? Uma das questões mais importantes para a humanidade, localizar planetas onde pode haverformas de vida extrassolares podem sobreviver teve um avanço recentemente com a descoberta de uma importante quantidade de vapor de agua na atmosfera do distante exoplanete K2-18b. 

O planeta e sua estrela-mãe, K2-18, situa-se à distância de uns 124 anos-luz, na direção da constelação do Leão (Leo). O exoplaneta é muito maior e mais massivo que a Terra, mas orbita na zona habitavel de sua estrela-mãe. 

K2-18, embora seja mais vermelha que o Sol, brilha no ceu de K2-18b com uma intensidade similar à do Sol no céu da Terra. A descoberta foi feita em dados obtidos através de tres telescopios espaciais: Hubble, Spitzer e Kepler, pela observação da absorção de cores de vapor de agua quando o planeta se movia em frente à estrela. 

Nesta ilustração, imagina-se o exoplaneta K2-18b à direita, sua estrela-mãe anã K2-18 à esquerda e um não confirmado planeta irmão entre eles.

Tradução L M Leitão da Cunha

Where else might life exist? One of humanity's great outstanding questions, locating planets where extrasolar life might survive took a step forward recently with the discovery of a significant amount of water vapor in the atmosphere of distant exoplanet K2-18b. 

The planet and it parent star, K2-18, lie about 124 light years away toward the constellation of the Lion (Leo). The exoplanet is significantly larger and more massive than our Earth, but orbits in the habitable zone of its home star. 

K2-18, although more red than our Sun, shines in K2-18b's sky with a brightness similar to the Sun in Earth's sky. The discovery was made in data from three space telescopes: Hubble, Spitzer, and Kepler, by noting the absorption of water-vapor colors when the planet moved in front of the star. 

The featured illustration imagines exoplanet K2-18b on the right, its parent red dwarf star K2-18 on the left, and an unconfirmed sister planet between them.

domingo, 15 de setembro de 2019

Little Planet to Exoplanets | Do pequeno planeta aos exoplanetas


É claro que este pequeno planeta é realmente o planeta Terra em um mosaico digitalmente alongado de 360 x 180 graus fotografado no deserto de Atacama, no Chile. Os aparentemente grandes domos abrigam os telescopios SPECULOOS de 1 metro de diametro  do Observatorio do Sul. 

Com um nome criativamente inspirado em uma marca de biscoito doce, os telescopios SPECULOOS (Search for habitable Planets EClipsing ULtra-cOOl Stars) — Busca por Planetas Habitaveis que Eclipsam Estrelas Ultra Frias — estão realmente procurando pequenos planetas. 

A missão deles é procurar a caracteristico redução de brilho que indica o transito de l exoplanetas terrestriais ao redor ou nas proximidades da população de minusculas estrelas ultra frias esmaecidas proximas. 

No horizonte não muito distante, adaptive optics laser beams são disparados do  Observatorio Paranal, da Agencia Espacial Europeia, situado no topo de uma montanha. A região central da Via Lactea e as Nuvens de Magalhães também brilham no ceu noturno deste pequeno planeta.

Tradução L M leitão da Cunha

Of course this little planet is really planet Earth in a digitally stitched 360 x 180 degree mosaic captured high in the Chilean Atacama desert. The seemingly large domes house the 1-meter diameter telescopes of the SPECULOOS Southern Observatory. 

With a name creatively inspired by a sweet biscuit treat, the SPECULOOS (Search for habitable Planets EClipsing ULtra-cOOl Stars) telescopes really are hunting for little planets. 

Their mission is to search for the telltale dimming that indicates the transit of terrestrial exoplanets around the population of nearby, tiny, dim, ultracool stars. 

On the not-so-distant horizon, adaptive optics laser beams are firing from ESO's mountain top Paranal Observatory. The central Milky Way and Magellanic clouds also shine in this little planet's night sky.

A Long Storm System on Saturn | Um longo sistema de tempestades em Saturno


Foi uma das maiores e mais duradouras tempestades vividas até hoje registradas no Sistema Solar. Vista pela primeira vez no final de 2010, a formação de nuvens acima, no hemisferio norte de Saturno, começou maior que a Terra e logo se espalhou completamente ao redor do planeta. 

A tempestade foi acompanhada não só da Terra, mas também lá mesmo, bem de perto, pela espaçonave robotica Cassini, que atualmente orbita Saturno. Fotografada aqui em infravermelho artificialmente colorido, em fevereiro, as cores laranja indicam nuvens profundas na atmosfera, enquanto as cores claras destacam nuvens situadas mais no alto. Os aneis de Saturno são vistos aqui quase de lado, aquela fina linha azul horizontal. 

As faixas escuras inclinadas  são as sombras dos aneis projetadas no topo das nuvens pelo Sol,  no canto superior esquerdo. Sendo uma fonte de ruido de radio originada por relampagos, acredita-se que a intensa tempestade esteja relacionada a alterações sazonais, quando chega a primavera no norte de Saturno. 

Após mostrar sua fúria por mais de seis meses, a iconica tempestade circundou todo o planeta e, depois, tentou absorver sua propria cauda — o que, surpreendetemente, fez com que ela desaparecesse aos poucos.

Tradução L M Leitão da Cunha

It was one of the largest and longest lived storms ever recorded in our Solar System. First seen in late 2010, the above cloud formation in the northern hemisphere of Saturn started larger than the Earth and soon spread completely around the planet. 

The storm was tracked not only from Earth but from up close by the robotic Cassini spacecraft currently orbiting Saturn. Pictured here in false colored infrared in February, orange colors indicate clouds deep in the atmosphere, while light colors highlight clouds higher up. The rings of Saturn are seen nearly edge-on as the thin blue horizontal line. 

The warped dark bands are the shadows of the rings cast onto the cloud tops by the Sun to the upper left. A source of radio noise from lightning, the intense storm was thought to relate to seasonal changes when spring emerges in the north of Saturn. 

After raging for over six months, the iconic storm circled the entire planet and then tried to absorb its own tail -- which surprisingly caused it to fade away.

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

A Harvest Moon | Uma Lua de colheita


Famosa em festivais, na historia e na musica, a Lua cheia mais conhecida é a Lua da Colheita. Para os habitantes do hemisferio norte, esse é um nome tradicional da Lua cehia mais próxima do equinocio de setembro. 

Na maioria das zonas de horário local da America do Norte a Lua da Colheita deste anos nascerá oficialmente nesta sexta-feira, 13 de setembro. Na verdade, entretanto, a mesma Lua da Colheita irá nascer em 14 de setembro em boa parte do planeta. 

Evidentemente, a Lua parecerá quase cheia nos dias próximos. Não obstante qual seja a zona de tempo local, a Lua da Colheita, assim como qualquer outra Lua cheia, irá nascer bem em oposição ao Sol poente. 

Proximo ao horizonte, a Ilusão Lunar poderá fazê-la parecer maior e mais brilhante para os observadores, mas esta Lua da Colheita estará próxima ao apogeu lunar. Trata-se do ponto mais próximo em sua orbita, o que a tornou a mais distante e, portanto, a menor Lua cheia do ano. 

Em 15 de agosto, numa plantação de trigo sendo colhida na região central sul da França  fotografou-se também esta cena de uma luz sobre a colheita, com a Lua cheia brilhando  em belas nuvens iridescentes ao pôr-do-sol.

Tradução L M Leitão da Cunha

Famed in festival, story, and song the best known full moon is the Harvest Moon. For northern hemisphere dwellers that's a traditional name of the closest full moon to the September equinox. 

In most North America time zones this year's Harvest Moon will officially rise on Friday, September 13. In fact the same Harvest Moon will rise on September 14 for much of the planet though. 

Of course the Moon will look almost full in the surrounding days. Regardless of your time zone the Harvest Moon, like any other full moon, will rise just opposite the setting Sun. 

Near the horizon, the Moon Illusion might make it appear bigger and brighter to you but this Harvest Moon will be near lunar apogee. 

That's the closest point in its orbit, making it the most distant, and so the smallest, full moon of the year. On August 15 a wheat field harvested in south central France made this a harvest moon scene too, the full moon shining on with beautiful iridescent clouds at sunset.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

The Iris Nebula in a Field of Dust | A Nebulosa da Iris Nebula em um campo de poeira


Estas nuvens de poeira cosmica vagam a cerca de 1.300 anos-luz de distancia pelos ferteis campos estelares da constelação de Cefeu. A bela nebulosa da Iris, tambem chamada NGC 7023, floresce no canto superior esquerdo. 

Não sendo a unica nebulosa em todo o ceu a evocar imagens de flores, sua bela forma simetrica se espalha por uns 6 anos-luz. A cor azul predominante desta nebulosa é caracteristica dos peetrantes grãos de poeira que refletem a luz de uma estrela proxima quente e azulada. 

Entretanto, nuvens mais escuras de poeira obscurecedora cobrem a maior parte do campo de visão de aproximadamente 4 graus de diametro. À direita está o complexo LDN 1147/1158 de nebulosas Lynds Dark. Lá, estrelas estão em formação, ainda ocultas nos nucleos das nuvens escuras. 

No entanto, um exame da nitida imagem permite identificar objetos Herbig-Haro, que são jatos de gás incandescente colidido emanando de estrelas recem-formadas.

Tradução L M Leitão da Cunha

These cosmic dust clouds drift some 1,300 light-years away along the fertile starfields of the constellation Cepheus. The beautiful Iris Nebula, also known as NGC 7023, blossoms at the upper left. 

Not the only nebula in the sky to evoke the imagery of flowers, its pretty, symmetric form spans about 6 light-years. This nebula's dominant blue color is characteristic of the pervasive dust grains reflecting light from a nearby hot, bluish star. 

But darker, obscuring dust clouds cover most of the nearly 4 degree wide field of view. At the right is the LDN 1147/1158 complex of Lynds Dark Nebulae. Stars are forming there, still hidden within the dark cloud cores. 

A search through the sharp image can identify Herbig-Haro objects though, jets of shocked glowing gas emanating from recently formed stars.