Pesquisar conteúdo deste blog

Carregando...

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

A Lista Vermelha das espécies em extinção

A vida na Terra está desaparecendo a um ritmo sem precedentes, de sorte que um em cada quatro mamíferos, um em cada oito pássaros, um terço de todos os anfíbios e 70 por cento das plantas catalogadas do planeta aparecem agora na Lista Vermelha de Plantas e Animais em Perigo.É o que informa a União para a Conservação do Planeta ou World Conservation Union (IUCN), responsável pela lista anual das espécies em risco de extinção. Segundo ela, o ritmo de extinção atual é 10.000 vezes mais alto do que se esperava. A atividade humana, destruindo os habitats naturais através da urbanização, agricultura e desmatamento, juntamente com as mudanças climáticas representam as maiores ameaças às plantas e animais.
Existem, hoje, 41.515 espécies na Lista Vermelha e 16.306 estão ameaçadas de extinção, quantidade que no ano passado era de 16.118. O total de espécies já extintas é 785 eoutras 65 só são encontradas em cativeiro ou cultivo, no caso das plantas.
A Lista Vermelha é reconhecidamente a mais confiável avaliação das espécies, nela classificadas de acordo com o grau de risco de extinção, e sua publicação é um alarme a respeito das pressões sobre os frágeis ecossistemas da Terra e suas conseqüências para a humanidade.
Uma exceção na edição de 2007 da Lista Vermelha é o periquito das Ilhas Maurício (Psittacula eques), que há 15 anos era um dos mais raros papagaios do mundo, e graças a esforços de conservação, saiu da classificação "Perigo Crítico" para "Em perigo". Segundo a diretora geral da IUCN, Julia Marton-Lefèvre, a Lista deste ano mostra que os grandes esforços empreendidos na defesa das espécies não têm sido suficientes. O ritmo da perda de biodiversidade está aumentando e precisamos agir já para obter sua diminuição significante e deter esta crise global de extinção, algo que pode ser feito somente com um esforço geral e concentrado da sociedade. A Lista Vermelha permite saber a situação precisa das espécies, condição essencial para se tomar as medidas apropriadas. A Lista Vermelha informa a situação geral da biodiversidade, o ritmo de sua perda e as causas disso.
Nossas vidas estão inexoravelmente ligadas à biodiversidade e sua proteção é essencial para a nossa sobrevivência. As informações contidas na Lista vermelha são úteis à medida que o mundo começar a agir contra a presente crise de perda da biodiversidade, pois permitem traçar uma estratégia de ação em favor da conservação, para o bem da natureza e do homem, que, afinal, faz parte dela.
Nas palavras do cientista-chefe do World Wildlife Fund (WWF), "estamos em alerta vermelho; a situação das espécies é um espelho da situação do planeta; as espécies estão sendo submetidas a enorme pressão à medida que nós sistematicamente destruímos seus habitats ou as superexploramos para sustentar nosso crescentemente exigente modo de vida.
Precisamos urgentemente reverter esta ameaça e começar a viver de acordo com a real disponibilidade de recursos naturais do planeta. Três das novas espécies incluídas este ano na Lista Vermelha são corais das Ilhas Galápagos, em perigo crítico por causa do aquecimento das águas do Pacífico, causado pelo El Niño e pelas mudanças climáticas.
O editor da Lista, Craig Hilton-Tailor, disse que as mudanças climáticas são um dos fatores de ameaça à vidas vegetal e animal, mas há outros. É difícil determinar se as mudanças climáticas estão ou não levando algumas destas espécies à extinção, pois as mudanças climáticas não agem sozinhas, mas, sim, em combinação com possíveis novas doenças. Enfim, a causa é uma combinação de fatores.
"Se todos no planeta cooperarem e adotarem um modo de vida sustentável, boa parte destes problemas desaparecerá".

Um comentário: